Peace

Agora sim, ta na hora de escrever. Não que eu tenha acordado inspirado nem nada, mas preciso colocar algumas coisas pra fora, alguns pingos nos “is”, e se eu esperar demais, a chance passa e eu fico novamente com aquele sentimento de desperdício.

Se você está lendo isso, provavelmente me conhece e sabe o que eu passo à aproximadamente 3 anos da minha vida. Me refiro exatamente ao meu problema de saúde na derme. Nesses 3 anos, muita coisa aconteceu, veio e foi, e seria impossível listar todas aqui, e cansativo até mesmo listar as principais. Me contento em dizer que foram grandes extremos, de altos e baixos, coisas que às vezes não acontecem na rotina das pessoas com frequencia.

De qualquer forma, mesmo com o meu problema físico, eu passei também por momentos de transformação profunda tanto mental como espiritualmente. Creio que todo mundo passe um dia na sua vida, mas as minhas mais frequentes foram nesse período. Talvez por necessidade, talvez por desespero mesmo, experimentei muito, vi muito, aprendi muito, e neguei muito.

Isso até três semanas atrás.

À três semanas atrás aproximadamente, decidi mudar meu tratamento do meu problema físico, e vivi se não o pior, um dos piores momentos da minha vida. Minha doença entrou em um estágio avançado e desesperador, que minava por completo minhas forças, sejam físicas, mentais ou espirituais. E eu não estou exagerando nem um pouco aqui.

Fica realmente difícil de tentar descrever como foram essas semanas, mas as poucas (e importantíssimas) pessoas que conviveram comigo tiveram uma noção de como foi a situação. Entretanto, como nem tudo na vida são dores, nessas três semanas aconteceram coisas maravilhosas.

Pessoas que eu não conhecia, pessoas que eu conheci nesse meio tempo, pessoas amigas de longa data e tantas outras que eu talvez não tenha nem tomado conhecimento surgiram de cantos e cantos para me ajudar. Cada uma do seu modo, simples, complexo, certo, errado, mas mesmo assim, elas queriam me ajudar. E eu comecei a perceber uma coisa.

O mundo ao meu redor, que a muito tempo me parecia podre, escuro, desesperançoso… errado … começou a mudar.

E, literalmente da noite pro dia, esses três anos escuros, por assim dizer, começaram a ir ralo abaixo, como quando lavamos a lama das mãos. Passei uma madrugada, 4 dias e uma tarde dentro de um hospital, sendo tratado decentemente por pessoas competentes, e nesse pouquíssimo tempo (comparado à um período de 3 anos) o escuro virou do avesso.

É impressionante como algumas pessoas (como eu) são extremamente cegas pra ver algumas coisas que estão bem na cara delas, e insistem em viver nas “entrelinhas”. Espero que, qualquer um que ler isso, possa tirar alguma conclusão ou exclarecimento, e não precise passar por tudo o que passei pra perceber uma coisa: minha vida, sendo ela como eu sempre desejei ou não, é a minha vida. Meu papel nessa existência pode não ser definido no meu nascimento, mas ele existe, e é nele que eu tenho que me concentrar. O meu “meio”, pode não ser o melhor do mundo, mas é dele e nele em que eu tenho que trabalhar e fazer minha vida acontecer, valer a pena.

Gostaria, acima de tudo nesse texto-desabafo, agradecer as pessoas que me ajudaram. Seja rezando, orando, mandando energias positivas, vibrando ou como quer que você ou ele chame o ato de desejar o bem para alguém. Posso dizer que, nesses últimos dias, eu consegui sentir na pele tudo isso chegando até mim, e foi uma sensassão maravilhosa, única, indiscritível. Eu percebi, finalmente, que nem todos os obstáculos foram feitos para serem vencidos sozinhos, e grande parte do meu orgulho (talvez meu maior defeito, e antiga fonte de força de vontade) está agora guardado bem fundo, onde ele não pode mais me impedir de ver as coisas ao meu redor.

Em especial, gostaria nesse momento, de citar alguns nomes. Eles não estão em ordem de importância, apenas são os que vão surgindo na minha cabeça:

– A minha maravilhosa mãe, que esteve comigo sempre, e que não existem palavras suficientes em todos os alfabetos para elogiar, descrever ou agradecer o que ela faz por mim. Ela foi o meu pilar, aquela última viga que segura um prédio condenado, e se não fosse por ela, eu não sei o que seria de mim hoje.

– A minha namorada, que passou por boa parte disso comigo, me aguentando nos meus piores momentos, e me oferecendo um grandissíssimo suporte, quando ela podia estar empenhada em outras coisas se desejasse.

– Ao meu pai, que nesse tempo acho que evoluiu um pouco mais, assim como eu, e que fez questão de se fazer presente e me apoiando, mesmo em situações onde, outrora, ele se sentiria desconfortável. Isso significou muito pra mim.

– Ao meu novo amigo de verdade Brunno, que nesse tempo esteve sempre comigo e conquistou um espaço especial no meu círculo social, espaço esse em que eu posso contar as pessoas nos dedos das mãos. Cara, você não tem idéia de como me ajudou e me surpreendeu nesse tempo, e eu vou ser eternamente grato à você por tudo.

– Aos meus familiares em geral, desde meus tios e tias, até a minha avó, que me ajudaram de incontáveis formas, seja descobrindo (e testando :P) ervas medicinais, executando tarefas pra mim, me levando ao hospital, cancelando a festa da família e demais coisas que não caberiam aqui.

– Aos meus amigos mais antigos, desde os mais próximos até aos mais distantes, e aqui não citarei nomes pra evitar ciúmes =P, mas saibam que todos vocês me ajudaram de alguma forma, sabendo ou não, querendo ou não.

– Aos meus novos amigos, e amigos indiretos, que se sensibilizaram e me ajudaram, mesmo sem ter nenhum vínculo afetivo anterior comigo. Foi um prazer conhece-los.

– Ao meu irmão, que mesmo sendo hoje uma das minhas maiores fontes de stress (né Lucas?), ainda é sangue-do-meu-sangue, e é impressionante como isso sempre vem a tona quando se torna necessario.

– A qualquer pessoa que eu possa ter esquecido no momento desse post, ja que faz tanto tempo que quero escrever isso, e não estou nem tão inspirado hoje.

– A Deus, ou qualquer que seja o nome da entidade superior de amor que você acredite. Sim, hoje eu estou finalmente conseguindo ser uma pessoa de fé, e isso de fato me faz sentir bem, apesar de estranho ainda.

– E mais uma vez a minha mãe. Simples assim.

Bom, ja me extendi bastante e, mesmo sentindo que não consegui escrever nem uma centésima parte do que eu estou sentido agora, não quero me alongar mais. Só queria dizer que hoje, eu me sinto renascido de verdade, em todos os aspectos da expressão. Pode ser que eu esteja até estranho, mas acreditem, acima de tudo, eu me sinto FELIZ!

E agora, depois desse tempo todo errado, apresento-lhes minha “nova vibe”, gostaria que lessem com carinho, pois é assim mesmo que me sinto.

Peace
PAZ
(Depeche Mode)

Composição: Martin L. Gore

Peace will come to me
A paz me virá
Peace will come to me
A paz me virá

I’m leaving bitterness behind
Estou deixando a amargura para trás
This time I’m cleaning up my mind
Desta vez estou limpando a minha mente
There is no space for the regrets
Não há nenhum espaço para arrempendimentos
I will remember to forget
Eu vou me lembrar de esquecer

Just look at me
Somente olhe pra mim
I am walking of incoming
Estou andando na linha
Look at the frequencies of which I vibrate
Olhe pras freqüências em que eu vibro
I’m going to light up the world
Estou indo iluminar o mundo

Peace will come to me
A paz me virá
Peace will come to me
A paz me virá

I’m leaving anger in the past
Estou deixando a raiva no passado
With all the shadows that it caused
Com todas as sombras que ela causou
There is radar in my heart
Há um radar no meu coração
I should have trusted from the start
Devia ter confiado nele desde o começo

Just look at me
Somente olhe pra mim
I am a living act of holiness
Sou um ato vivo da santidade
Giving all the positive virtues that I possess
Ofertando todas as virtudes positivas que possuo
I’m going to light up the world
Estou indo iluminar o mundo

Peace will come to me
A paz me virá
(Just wait and see )
(Espere e veja)
Peace will come to me
A paz me virá
(It’s meant to be)
(Está destinado)
Peace will come to me
A paz me virá
(Just wait and see)
(Somente espere e verá)
Peace will come to me
A paz me virá
It’s inevitability
É inevitável

—–>Download da Música<—–
Senha: musicas

Anúncios

~ por Dunncan em 17 de outubro de 2009.

3 Respostas to “Peace”

  1. Tudo passa, graças a Deus… eu to ligado como foi difícil
    É nois! =D

  2. Quase Choray.

    Esqueci o que eu ia dizer agora… =P

  3. Descobrir a si mesmo, faz parte da caminhada espiritual que o fará compreender a unidade com o Criador. Teu nascimento foi (se não sabe) muitíssimo esperado e ansiado por mais pessoas que possa imaginar.
    As lágrimas que não pude conter, trouxeram uma lembrança que misturou sentimentos.Saudade, angústia, alegria…e um imenso prazer de tê-lo como filho.
    Saudade dos momentos que pude ser o pai que ansiavas chegar para ofertar-me teu sorriso infantil.
    Angústia, por perceber o quanto perdi não estando a teu lado.
    Alegria por reconhecer o caráter que tens hoje.
    E finalmente o prazer de ter um filho que como eu, aprende a cada percalço que encontra…transformando qualquer sentimento em CORAGEM para prosseguir.
    Tenho em você e no teu irmão um espelho, para que meus pensamentos e atitudes sejam refletidos e ganhem uma nova LUZ.
    Agradeço a DEUS, que é a fonte eterna de infinita bondade, por ter ainda muito a te ensinar e muito a aprender contigo.
    Um grande abraço do teu pai.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: